2014 MTV Video Music Awards - Show

Hinos feministas para você cantar no último volume

Mesmo que grupos femininos, cantoras ou compositoras não se considerem militantes do feminismo, muitas vezes em suas letras essas mulheres acabam clamando por mais igualdade e direitos. Confira essa lista de músicas de tom feminista e prepare seu aparelho de som para uma aula de sororidade e empoderamento. Who run the world? Girls!

1 – Queen Latifah- U.N.I.T.Y
Antes de ficar famosa nas telas de cinema com filmes como Taxi e A casa caiu, Queen Latifah se lançou como MC. E assim como a ativista pelos direitos homossexuais que é hoje em dia, naquela época ela já tratava de assuntos polêmicos ligados ao gênero. A canção U.N.I.T.Y trata de assuntos como assédio nas ruas, violência doméstica e valorização de si mesmo.

“You say I’m nothing without ya, well I’m nothing with you. 
A man don’t really love you if he hits you…”

2 – Salt N’ Pepa- Ain’t Nuthin But A She Thing
O grupo Salt N’ Pepa fez fama nos anos 1990 com músicas como Let’s talk about sex, na qual davam lições sobre sexo seguro. Elas também abordaram assuntos como diferença de salário entre gêneros no mercado de trabalho.

“Got to break my neck just to get my respect
Go to work and get paid less than a man
When I’m doin’ the same damn thing that he can”

3 – Beyoncé- Flawless
A cantora Beyoncé começou a levar suas canções por caminhos feministas em 2011, com a canção Run the world (Girls). No final do ano passado, ela surpreendeu a todos ao lancer um álbum surpresa no qual uma das músicas trazia um sample do discurso feminista de Chimamanda Ngozi Adichie.

“We raise girls to see each other as competitors not for jobs or accomplishments, which I think can be a good thing, but for the attention of men. We teach girls that they cannot be sexual beings in the way that boys are”

4 – Sonic Youth- Kool Thing
A baixista do Sonic Youth, Kim Gordon, e o rapper LL Cool J trocaram farpas durante um programa de televisão nos anos 1990. Kim perguntou para o rapper sobre a prevalência da misoginia no rap. Ela então escreveu a música Kool Thing, mostrando que para combater a ridicularização de alguém sobre o papel da mulher na sociedade, é possível ridicularizar a própria pessoa.

“Are you gonna liberate us girls
from male white corporate oppression?”

5 – No Doubt- Just A Girl
A líder da banda No Doubt, Gween Stefani, sempre desafiou os estereotipos de gênero criados para mulheres. Em Just a Girl, ela mostra que ser “apenas uma garota” não te impede de realizar nada.

“I’m just a girl, all pretty and petite
 So don’t let me have any rights”

6 – Annie Lennox e Aretha Franklin – Sisters Are Doing It For Themselves
As divas Annie Lennox e Aretha Franklin se uniram para dizer que as mulheres não odeiam os homens. E, apesar de não precisrem deles para crescer na vida, elas gostam de compartilhar suas vidas com eles.

“There’s a woman right beside you
We don’t want to be the ‘great women’ behind the ‘great men’
We want to be right beside them, as equals, not dragging ourserves behind”

7 – Bikini Kill- Rebel Girl
As meninas do Bikini Kill mostram que há muitas mulheres por aí que nos inspiram e que podemos (e devemos!) seguir seus ensinamentos. Dentro de todas nós há uma pequena rebelde.

“When she walks, the revolution’s coming”

8 – Christina Aguilera- Can’t Hold Us Down
Ainda existem normas não escritas, porém muito repetidas, que afirmam que uma mulher que se preze deve seguir certos comportamentos na sociedade. Tais atitudes normalmente são bem diferentes das esperadas pelos homens e, quando as mulheres decidem agir de forma diferente, elas são ofendidas e viram motivo de revolta. Christina Aguilera canta com um mini-shorts, ao lado de mulheres de todos os biótipos para gritar que ninguém vai nos segurar.

“Thinking all women should be seen, not heard
What do we do girls? Shout louder!”

9 – Mary Poppins – Sister Suffragette
Mesmo em um filme produzido por Walt Disney – que não hesitava em deixar claro seu sentimento machista quanto às mulheres – Mary Poppins fala sobre sufragismo e a luta pelos direitos das mulheres.

“No more the meek and mild subservients we!
We’re fighting for our rights, militantly!”

10 – Destiny’s Child- Independent Women Part I
As mulheres não dependem mais de seus maridos para proverem comida e roupa para a casa, e muito menos presentes para si mesmas. As garotas do Destiny’s Child sabiam que eram donas dos seus narizes e poderiam comprar o que quisessem com seu dinheiro, como boas mulheres independentes.

“The rock I’m rocking, I bought it
‘cos I depend on me”

11 – Aretha Franklin – Respect
Essa musica foi originalmente escrita por um homem: Otis Redding criou a letra e a batida em 1965. Porém, a Rainha do Soul criou uma versão definitiva e empoderadora. Ao mudar o papel dos gêneros na letra, ela subverteu a intenção original do autor. Além disso, a performance de Aretha é impecável. Ela não só pede pelo respeito dos homens, ela demanda.

“I ain’t gonna do you wrong while you’re gone
I ain’t gonna do you wrong because I don’t wanna
All I’m askin’ is for a little respect when you get home
Hey baby, when you get home, listen”

12 – Joan Jett – Bad Reputation
Joan Jett foi membro do grupo feminino Runaways, teve uma carreira solo de sucesso e criou seu próprio selo, o Blackheart Records, além de ter trabalhado com artistas como Bikini Kill. Bad Reputation foi seu primeiro single como artista solo, lançado em 1981, e ela não teve vergonha de dizer que não sei importava com o que os outros tinham a dizer sobre ela.

“A girl can do what she wants to do
And that’s what I’m gonna do”

13 – Le Tigre – Hot Topic
Influenciadas por nomes como Yoko Ono, Angela Davis, Nina Simone e Joan Jett, a banda Le Tigre tem seu trabalho marcado pelo pensamento feminino de várias gerações e locais. Nesta música elas pedem para as críticas não pararem, para que elas possam continuar lutando e crescendo.

“So much bullshit but we won’t give in
 Don’t you stop, I can’t live if you stop”

14 – Lily Allen – Hard out here
Em referência (e fazendo uma crítica) ao hit do Three 6 Mafia, “Hard out here for a pimp”, a música de Lily Allen fala das diferenças esperadas no comportamento feminino em relação ao masculino e da pressão da mídia para sempre estarmos arrumadas. Ela aproveita também para alfinetar o cantor Robin Thicke, que havia lançado a música Blurred Lines, com conteúdo que fazia apologia ao estupro.

“If I told you about my sex life, you’d call me a slut
Them boys be talking ’bout their bitches no one’s making a fuss”

15 – Pussy Riot – Putin Lights Up the Fires
Elas fazem protestos a favor das mulheres com os seios de fora, tocam em shows usando toucas cobrindo o rosto e são constantemente presas, esse é o grupo russo Pussy Riot. Nesta música, elas criticam mais uma vez o presidente Vladmir Putin e seu posicionamento machista.

The country is going, the country is a wedge of feminists
And Putin is going, Putin is going to say goodbye, cattle”

 

Ana Tijoux – Anti-patriarca
A cantora meio chilena, meio francesa Ana Tijoux critica todos os aspectos do patriarcado em seu rap com toques latinos.

“No pasiva ni oprimida, mujer linda que das vida
emancipada en autonomia, antipatriarca y alegría”



Sobre

Jornalista apaixonada por cultura e feminista em constante evolução. Tem um quê de psicóloga de bar e filósofa de padaria, mas sabe que ainda tem muito o que aprender desta vida severina. De vez em quando, se ilude achando que fotografa bem.


'Hinos feministas para você cantar no último volume' não tem nenhum comentário

Seja o primeiro a comentar este post

Você gostaria de comentar?

Seu e-mail não será publicado.

© 2014 Madalenas. Todos os direitos reservados.